Barreiras e facilitadores para a adesão à prática de atividade física no ambiente de trabalho



Título del documento: Barreiras e facilitadores para a adesão à prática de atividade física no ambiente de trabalho
Revue: O mundo da saude
Base de datos: PERIÓDICA
Número de sistema: 000374736
ISSN: 1980-3990
Autores: 1
1
Instituciones: 1Universidade Federal de Sao Paulo, Departamento de Medicina Interna e Terapeutica, Sao Paulo. Brasil
Año:
Volumen: 38
Número: 2
Paginación: 204-209
País: Brasil
Idioma: Portugués
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico, descriptivo
Resumen en inglés Interventions for health promotion have been applied in various contexts of society. Workplaces, due to their behavioraland environmental particularities, have a great potential to be explored. One of these interventions in the workplace is exercise, popularly called in Brazil Labor Gymnastics. The objective of the study was to describe self-reported barriers and facilitators for workers participating and not participating in an exercise program at the workplace. We randomized 20 sectors from the 65 participating in the exercise program at a university community; there were 334 employees, 151 of which (45.11 ± 10.22 years) participated and 183 who did not participate in the program (43.61 ± 9.38 years). A questionnaire was administered to workers in these sectors, which addressed the reasons for participating or not participating in the exercise program. The main facilitators were related to the possibility of improving health (76.16% of employees) and increasing the willingness to work (55.63% of the employees). The main barriers occur because workers do not like the intervention (19.67% of the employees) or have a lack of time (18.78% of the workforce). The findings in this study help to rethink exercise interventions in the workplace. This practice should seek to reduce occupational barriers (e.g., available time at work to exercise) and promoting the factors that facilitate adhesion to this therapeutics
Resumen en portugués Intervenções para promoção da saúde têm sido aplicadas em diversos contextos da sociedade. O local de trabalho, devido a suas peculiaridades comportamentais e ambientais, tem grande potencial a ser explorado. Uma dessas intervenções no local de trabalho é o Programa de Ginástica Laboral. O objetivo do estudo foi descrever as barreiras e facilitadores autorreferidos por trabalhadores participantes e não participantes de um programa de atividade física no local de trabalho. Foram randomizados 20 setores dos 65 que participam do PGL de uma comunidade universitária de Londrina-PR, Brasil; 334 trabalhadores, dos quais 151 (45,11 ± 10,22 anos) trabalhadores participavam e 183 trabalhadores (43,61 ± 9,38 anos) não participavam. Um questionário foi aplicado nos trabalhadores desses setores, o qual abordava as razões para participar ou não participar do exercício físico no local de trabalho. Os principais facilitadores estavam relacionados à possibilidade de melhorar a saúde (76,16% dos trabalhadores) e por aumentar a disposição para o trabalho (55,63% dos trabalhadores). As principais barreiras ocorreram pelo fato dos trabalhadores não gostarem da intervenção (19,67% dos trabalhadores) e falta de tempo (18,78% dos trabalhadores). Pôde-se concluir que os achados neste estudo ajudam a replanejar as intervenções com exercício físico no local de trabalho. Essa prática ocupacional deve buscar reduzir as barreiras (por exemplo: disponibilizar tempo no trabalho para o exercício) e promover os fatores que facilitam a adesão a esse programa
Disciplinas: Medicina
Palabras clave: Salud pública,
Salud ocupacional,
Actividad física,
Promoción de la salud,
Programas de ejercicio
Keyword: Medicine,
Public health,
Occupational health,
Physical activity,
Health promotion,
Exercise programs
Texte intégral: Texto completo (Ver PDF)