Source Criticism and the History of Brazilian Foreign Policy



Título del documento: Source Criticism and the History of Brazilian Foreign Policy
Revue: Contexto internacional
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000482411
ISSN: 0102-8529
Autores: 1
Instituciones: 1Ministerio de Relacoes Exteriores, Brasilia, Distrito Federal. Brasil
Año:
Periodo: Ene-Abr
Volumen: 41
Número: 1
Paginación: 187-208
País: Brasil
Idioma: Inglés
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico, descriptivo
Resumen en inglés The article deals with the historical methodology in the field of Brazilian foreign policy, based on reflections on the treatment of primary sources and the lessons of two important historians of antiquity: Moses I. Finley and Arnaldo Momigliano. Without disregarding the inherent temporal differences, it is understood that it is possible to bring contemporary and ancient history closer, as well as to establish a respectful dialogue between them. The article presents a preliminary discussion on the sources for the history of Brazilian foreign policy, followed by a series of analyses and comments on several aspects of the treatment of primary sources: a) the fragmentary nature of sources and the consequences of this; b) the predominance of discursive sources; c) the use of oral history as a supplementary source; and d) the difficulty in establishing a context for document production. Studies related to Brazilian foreign policy towards the Middle East will be used, especially the case of Brazil’s controversial favourable vote on Resolution 3379 (XXX) of the United Nations General Assembly, in 1975, which equated Zionism with racism
Resumen en portugués O presente artigo trata da metodologia histórica no campo da política externa brasileira a partir de reflexões sobre o tratamento de fontes primárias e as lições de dois importantes historiadores da Antiguidade: Moses I. Finley e Arnaldo Momigliano. Sem desprezar as diferenças de temporalidade implicadas, entende-se que é possível aproximar e estabelecer um respeitoso diálogo entre a história contemporânea e a história antiga. O artigo apresenta primeiramente uma discussão preliminar sobre as fontes para a história da política externa brasileira, seguida de uma série de análises e comentários sobre diversos aspectos do tratamento de fontes primárias: a) o caráter fragmentário das fontes e suas consequências; b) a predominância de fontes discursivas e a importância atribuída aos documentos individuais; c) o uso da história oral como fonte; d) a dificuldade em estabelecer o contexto da produção do documento. São utilizados trabalhos relativos à política externa brasileira para o Oriente Médio, em especial o caso do controverso voto favorável do Brasil à Resolução 3379 (XXX) da Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1975, que equiparou o sionismo ao racismo, escolha que deriva do caráter controverso do voto brasileiro e da própria Resolução
Disciplinas: Relaciones internacionales
Palabras clave: Política internacional,
Brasil,
Política exterior,
Historia política,
Interés nacional
Texte intégral: http://www.scielo.br/pdf/cint/v41n1/0102-8529-cint-201941010187.pdf