Migration and Sex Work through a Gender Perspective



Título del documento: Migration and Sex Work through a Gender Perspective
Revue: Contexto internacional
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000482434
ISSN: 0102-8529
Autores: 1
Instituciones: 1Pontificia Universidade Catolica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. Brasil
Año:
Periodo: Sep-Dic
Volumen: 40
Número: 3
Paginación: 501-524
País: Brasil
Idioma: Inglés
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico, descriptivo
Resumen en inglés The trajectories of migration and prostitution are embedded in representations of body, gender, sex and sexuality. This article seeks to understand the articulation between migration and sex work through the lens of gender. To this end, this article relies on a typological approach that aims to clear some ground in the ongoing debate on the issues of prostitution, sex trafficking and migration of sex workers. It explores the theoretical cross-contribution as well as the conceptual limitations of radical, liberal, post-colonial, critical and postmodern feminist perspectives on the issues of prostitution, sex workers’ mobility and sex trafficking. It gives special focus to the contributions of the postmodern feminist reading, especially by highlighting how it has challenged conventional feminist theories, hitherto grounded in dualistic structures. In fact, the postmodern feminist approach makes a stand against the simplistic dichotomies such as First/Third World, passivity/agency, vulnerability/empowerment, innocence/conscience, sexual trafficking/voluntary prostitution or ‘trafficked victim’/‘autonomous sex worker.’ As such, postmodern feminism disrupts all fixed demarcations and homogeneous forms of categorisation on which the dominant feminist theories were based, allowing thus for the emergence of new practices of subjectivity as well as new forms of flexible identities
Resumen en portugués As trajetórias de migração e prostituição estão embebidas em representações de corpo, gênero, sexo e sexualidade. Este artigo procura entender a articulação entre migração e trabalho sexual pelas lentes do gênero. Para este fim, este artigo conta com uma abordagem tipológica que objetiva clarear os caminhos no debate destas questões de prostituição, tráfico sexual e migração de trabalhadores sexuais. Explora a contribuição teórica cruzada, bem como as limitações conceituais das perspectivas feministas radicais, liberais, pós-coloniais, críticas e pós-modernas sobre as questões da prostituição, mobilidade dos profissionais do sexo e tráfico sexual. Dá especial atenção às contribuições da leitura feminista pós-moderna, especialmente destacando como ela desafiou as teorias feministas convencionais, até então baseadas em estruturas dualistas. De fato, a abordagem feminista pós-moderna se posiciona contra as dicotomias simplistas como Primeiro/Terceiro Mundo, passividade/agência, vulnerabilidade/empoderamento, inocência/consciência, tráfico sexual/prostituição voluntária ou ‘vítima traficada’/’trabalhador do sexo autônomo.’ Como tal, o feminismo pós-moderno rompe todas as demarcações fixas e formas homogêneas de categorização nas quais as teorias feministas dominantes foram baseadas, permitindo assim o surgimento de novas práticas de subjetividade, bem como novas formas de identidades flexíveis
Disciplinas: Relaciones internacionales,
Sociología
Palabras clave: Política internacional,
Sociología de la mujer,
Sociología de la sexualidad,
Migración,
Mujeres,
Trabajo sexual,
Tráfico de personas,
Género,
Feminismo,
Prostitución,
Problemas sociales
Texte intégral: http://www.scielo.br/pdf/cint/v40n3/0102-8529-cint-2018400300501.pdf