Percepções Acerca da Experimentação Animal Como um Indicador do Paradigma Antropocêntrico-Especista entre Professores e Estudantes de Ciências Biológicas da UNIFAL-MG



Título del documento: Percepções Acerca da Experimentação Animal Como um Indicador do Paradigma Antropocêntrico-Especista entre Professores e Estudantes de Ciências Biológicas da UNIFAL-MG
Revue: Alexandria (Florianopolis)
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000475370
ISSN: 1982-5153
Autores: 1
2
Instituciones: 1Universidade Federal de Alfenas, Departamento de Ciencias Biológicas, Alfenas, Minas Gerais. Brasil
2Universidade Federal de Alfenas, Alfenas, Minas Gerais. Brasil
Año:
Periodo: Nov
Volumen: 1
Número: 3
Paginación: 3-28
País: Brasil
Idioma: Portugués
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico
Resumen en inglés The consequences of the human-nature interaction have been considered amongst the main contemporary issues. A scientific practice that affects directly the biological and biomedical science practitioners’ perceptions and actions, defining the moral status attributed to non-human animals, is the employment of the “animal model” in experimentation. A view on this practice can help to visualize how the anthropocentric-especiesist paradigm permeates the study and practice of modern biology. This article explores the non-human animal moral stands amongst 171 students of Biological Sciences and nine teachers that use animals in experiments, from the Universidade Federal de Alfenas (MG). The results reveal different supportive perspectives between the use of animals for education or research purposes. However, this support seems to be based on a conceptual reproduction free of critical appraisals, inferred from the predominance of negative feelings expressed by students when experimenting on animals and from the lack of ethical implications brought about
Resumen en portugués As conseqüências da interação humana com a natureza vêm afirmando-se dentre as principais preocupações contemporâneas. Uma prática científica, que afeta diretamente as percepções e ações dos atuantes nas ciências biomédicas e biológicas, caracterizando o status moral atribuído aos animais não-humanos, é o emprego do “modelo animal” na experimentação. Uma análise desta prática pode ajudar a visualizar como o paradigma antropocêntrico-especista permeia o estudo e a prática da biologia moderna. Este artigo explora o posicionamento moral perante animais não-humanos entre 171 estudantes de Ciências Biológicas e de nove professores que praticam experimentação animal, da Universidade Federal de Alfenas (MG). Os resultados demonstraram haver apoio diferenciado ao uso de animais no ensino e na pesquisa. Todavia, este apoio aparenta ser embasado numa reprodução conceitual acrítica, inferido pela predominância, entre estudantes, de sensações negativas diante de animais mortos nas aulas práticas e pela carência de ponderações sobre as implicações éticas acarretadas
Disciplinas: Educación
Palabras clave: Educación superior,
Etica,
Didáctica,
Brasil,
Universidade Federal de Alfenas,
Bioética,
Experimentación animal,
Ciencias biológicas
Texte intégral: Texto completo (Ver PDF)