Quatro objecoes de John Searle ao cognitivismo



Título del documento: Quatro objecoes de John Searle ao cognitivismo
Revista: Kinesis (Marilia)
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000387522
ISSN: 1984-8900
Autores: 1
Instituciones: 1Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho", Marilia, Sao Paulo. Brasil
Año:
Periodo: Mar
Volumen: 1
Número: 1
Paginación: 171-185
País: Brasil
Idioma: Portugués
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico
Resumen en inglés The Cognitivism is a current tendency of ABSTRACT: Cognitive Science that defends the computer supply a right picture of the nature of mental states, and that is not just a metaphor. Nevertheless, this view do not support that the computers have, literally, mental states, only that the brain process information: to think, for instance, would be information processing. So, if information processing is, justly, to manipulate symbols, and digital computers processing information, then the best way to study mind would be through computational models (by computers programs) that simulate the functioning of the mind. Then, the aim of this work will be show the discussion between John Searle and the Cognitivism. Let us commit in show and discuss difficulties that Searle, in yours investigations, believes be present in cognitive view, since this difficulties have serious consequences in general studies of mind and for Cognitive Science in particular. Since the philosopher understands that the results of the chinese room argument do not reached this view, what difficulties that he arises in the view that the brain is a digital computer effectuating information processing? Are these difficulties still would be obstacles to the study of mental phenomena of this view Cognitivist? These are questions that this work try to response
Resumen en portugués Cognitivismo é uma tendência recente da Ciê RESUMO: ncia Cognitiva que defende que o computador fornece uma imagem correta da natureza do mental, e não deve ser visto como metáfora apenas. No entanto, esta visão não se compromete em afirmar que computadores têm, literalmente, estados mentais, mas somente que o cérebro efetua processamento de informação: pensar, por exemplo, seria processar informação. Ora, se processar informação é, justamente, manipular símbolos, e os computadores digitais efetuam processamento de informação, então a melhor maneira de se estudar a mente seria através de modelos computacionais (vide programas de computador) que simulassem o funcionamento da mente. Bem, o objetivo deste trabalho se restringirá e se situará nesse ambiente de discussão entre Searle e o Cognitivismo. Vamos nos comprometer aqui em apresentar e discutir algumas dificuldades que Searle, em suas investigações e pesquisas, considera estarem presentes nessa visão, dificuldades essas que têm sérias conseqüências para os estudos da mente em geral e para a Ciência Cognitiva em particular. Visto que o autor pondera que os resultados de seu experimento mental do argumento da sala chinesa não atingiram esta visão, que dificuldades Searle levanta à tese de que o cérebro é um computador digital que efetua processamento de informação? Continuariam elas a serem obstáculos aos modelos computacionais da mente, isto é, ao modo cognitivista de estudar a mente? Estas são as perguntas básicas que este trabalho visa responder, e este é seu objetivo principal
Disciplinas: Filosofía,
Ciencias de la computación
Palabras clave: Gnoseología,
Inteligencia artificial,
Filosofía de la mente,
Cognitivismo,
Ciencias cognitivas,
Procesamiento de información,
Searle, John
Texto completo: Texto completo (Ver PDF)