Medicalização e Psicoterapia: a relação entre o uso de psicofármacos e o processo de psicoterapia na adolescência



Título del documento: Medicalização e Psicoterapia: a relação entre o uso de psicofármacos e o processo de psicoterapia na adolescência
Revue: Revista NUPEM
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000398566
ISSN: 2176-7912
Autores: 1
1
1
Instituciones: 1Universidade de Santa Cruz do Sul, Departamento de Psicologia, Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul. Brasil
Año:
Periodo: Jul-Dic
Volumen: 5
Número: 9
Paginación: 151-162
País: Brasil
Idioma: Portugués
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Analítico, descriptivo
Resumen en inglés This article aims to analyze the relationship between the use of psychopharmacs and the psychotherapy process during adolescence. To this end, we conducted an investigation into school dossier services from 1988 to 2010, in Vale do Rio Pardo-RS. We analyzed 321 dossiers of adolescents aged 12 to 18, who were assisted by psychotherapy services. Later, we transported these data to the 17.0 Statistics Program and we utilized frequency analysis and cross checking tables. Positive data obtained by us point to a soaring medicalization process in all adolescents who were assisted. The boys presented a higher rate of medicalization. The reason why adolescents seek psychotherapic assistance is, in most cases, due to adolescence conflicts, while anxiety and aggressiveness are among the main complaints, followed by attention deficit disorder, hyperactivity and depression
Resumen en portugués O presente artigo visa analisar a relação entre o uso de psicofármacos e o processo de psicoterapia na adolescência. Para tanto, realizou-se uma investigação nos prontuários de um serviço-escola entre anos de 1988 e 2010 no Vale do Rio Pardo-RS. Analisamos 321 prontuários de adolescentes de 12 até 18 anos, atendidos em psicoterapia. Posteriormente, transportamos os dados para o programa SPSS Statistics 17.0 e utilizamos análise de frequência e cruzamentos de tabelas. Obtivemos, como dados significativos, que há um processo crescente de medicalização dos adolescentes atendidos. Os meninos apresentaram maior índice de medicalização. O motivo pelo qual os adolescentes procuraram atendimento psicoterápico é, na sua maioria, devido a conflitos na adolescência, sendo que a ansiedade e a agressividade estão entre as principais queixas, seguidas do transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e depressão
Disciplinas: Medicina
Palabras clave: Psiquiatría,
Adolescencia,
Medicalización,
Psicoterapia,
Psicofármacos,
Brasil
Texte intégral: Texto completo (Ver HTML)