Reflexões sobre a terapia analítico-comportamental no contexto da prática baseada em evidências e possibilidades de atuação em análise do comportamento clínica



Título del documento: Reflexões sobre a terapia analítico-comportamental no contexto da prática baseada em evidências e possibilidades de atuação em análise do comportamento clínica
Revue: Acta comportamentalia
Base de datos: CLASE
Número de sistema: 000458600
ISSN: 0188-8145
Autores: 1
Instituciones: 1Universidade de Sao Paulo, Centro Paradigma de Ciencias e Tecnologia do Comportamento, Sao Paulo. Brasil
Año:
Volumen: 25
Número: 2
Paginación: 215-230
País: México
Idioma: Portugués
Tipo de documento: Artículo
Enfoque: Teórico
Resumen en inglés In the second half of the twentieth century, Brazilian psychologists applied the principles of behavior analysis and the conceptual considerations on verbal behavior and subjectivity by Skinner to the practice of psychotherapy, creating an intervention technology known nowadays as behavioralanalytic therapy (TAC). In approximately the same period, the field of Psychology and other health sciences has witnessed the appearance of a movement called evidence-based practice, whose premise states that the conduct of health professionals must be based on empirical data from experimental research, which is in perfect harmony with applied behavior analysis. Despite the commitment of behavior analysts in providing interventions with empirical support, Leonardi (2016), on a systematic review of TAC, found that this therapy lacks evidence to support or reject its efficacy. Based on this premise, this article presents three alternative ways in which Brazilian behavioral-analytic therapists who intend to act in accordance with evidence-based practice can operate: use the theory of behavior analysis to guide clinical practice and as a means of gathering evidence; adopt one of the empirically supported international models of clinical behavior analysis; systematize TAC and research it experimentally afterwards
Resumen en portugués Na segunda metade do século XX, psicólogos brasileiros utilizaram os princípios da análise do comportamento e as considerações conceituais de Skinner sobre comportamento verbal e subjetividade para a prática da psicoterapia, criando uma tecnologia de intervenção conhecida atualmente como terapia analítico-comportamental (TAC). Paralelamente, surge na Psicologia e em outras ciências da saúde o movimento intitulado prática baseada em evidências, cuja premissa é a de que a conduta do profissional de saúde deve ser fundamentada em dados empíricos oriundos de pesquisas experimentais, concepção esta que está em perfeita harmonia com a análise do comportamento aplicada. Apesar do comprometimento dos analistas do comportamento em oferecer intervenções com sustentação empírica, Leonardi (2016), em uma revisão sistemática sobre TAC, constatou que essa terapia carece de evidências que comprovem ou rejeitem sua eficácia. Em vista disso, este artigo apresenta aos terapeutas analítico-comportamentais brasileiros com a intenção de atuar de acordo com o modelo de prática baseada em evidências três alternativas de atuação: utilizar a teoria da análise do comportamento como guia da prática clínica e meio de apropriação de evidências; adotar um dos modelos internacionais de análise do comportamento clínica que seja empiricamente sustentado; sistematizar a TAC para, posteriormente, pesquisá-la experimentalmente
Disciplinas: Psicología
Palabras clave: Psicología clínica,
Historia y filosofía de la psicología,
Terapia analítica-conductual,
Terapia conductual,
Práctica basada en evidencia,
Análisis de la conducta,
Conductismo
Texte intégral: Texto completo (Ver PDF)